quinta-feira, 17 de maio de 2018

17 MAIO

1917
ACap.

1925
D.L.

1928

D.L.

1932


Diário da Noite

1933
D.L.

1936
D.L.

1937


D.L.

1938
D.L.

1939

D.L.

D.daN.

1940
D.L.

1941
D.L.

1942
D.L.

1943

D.L.

1944
D.L.

1945

D.L.

1946

D.L.

1947
D.L.

1948
D.L.

1949

D.L.

1950


D.L.

1951

D.L.

1952

D.L.

1953

D.L.

1954

D.L.

1955


D.L.

1956

D.L.

1957


D.L.

1958
D.L.

1959

D.L.

1960
D.L.

1962

D.L.

1963

D.L.

1964
D.L.

1965
D.L.

1966
D.L.


Plat.

1967


D.L.

1969


D.L.

1970

D.L.




(aqui)

"Sob o título Fado maior e menor, Rui Vieira Nery fez publicar no JL não uma crítica, mas um virulento e descomposto ataque à minha pessoa, à minha idoneidade, à minha obra de investigação da música de tradição oral e particularmente ao meu último livro A Origem do Fado. Depois de elogiar todas as obras que se têm debruçado sobre o Fado, diz, em suma, que a minha é a única - a única - imprestável. Não admira: o meu livro é o primeiro a desmontar e reduzir a um cisco a sua mirabolante teoria da origem afro-brasileira do Fado. Tal como Espinoza, esforço-me por não rir nem chorar dos atos humanos, nem odiá-los, mas simplesmente compreendê-los. E a explicação do destempero está à vista: os bonzos da cultura dominante não aceitam desvios ao dogma, nem admitem estranhos ao couto, que pensem pela própria cabeça, critiquem e incomodem. ..." (ler+)

Sem comentários:

Enviar um comentário