sexta-feira, 28 de outubro de 2016

28 OUTUBRO


1924

D.L.

1926
D.L.

1929

D.L.

1931
D.L.

1935

D.L.

1936
D.L.

1937
D.L.

1938

D.L.

1939
D.L.


1940
 D.L.

1941
D.L.

1942

D.L.


1943

D.L.

1944
D.L.

1945

D.L.

1946
D.L.

1947

D.L.

1948



D.L.

1949

D.L.

1950

D.L.

1951

D.L.

1952
D.L.

1953


D.L.

1954

D.L.

1955
D.L.

1956

D.L.

1957
D.L.

1959

D.L.

1960

D.L.

1961

D.L.


1962

D.L.

1964
D.L.

1965
D.L.

1966



D.L.

1967
Pop-Cine


D.L.


1969
D.L.

1970

D.L.

Tony de Matos (1924 - 1989, 08.06)





2 comentários:

  1. Émeélelisboamiga(o)?

    Um blogue dedicado ao fado tem de ser acompanhado à guitarra, à viola, à guitarra-baixo, ao contrabaixo, ao violino, ao acordeão, à flauta, à orquestra, por profissionais de detrás da orelha, ou seja de estrela e beta e de pé calçado.

    Aos 72 anos já não tenho voz para cantar o fado. Mas, como sou um louco por ele (e a minha mulher Raquel, sendo Goesa também é doida pela canção nacional) trauteio-o e trago sempre no carro no armazém de CD quase só fados.

    Quando era puto (17 anos) cheguei a cantá-lo por alguns locais; e na "Toca" de um Senhor chamado Carlos Ramos, uma noite cantei à desgarrada essa maravilha que é o Não venhas tarde
    dizes-me tu com carinho
    sem nunca fazer alarde
    do que me dizes baixinho....
    (...)
    Por ironia
    eu confesso tenho medo
    que tu me digas um dia
    meu amor não venhas... cedo


    Na minha Travessa tenho o Senhor Carlos Ramos a cantar este maravilhoso "Não venhas tarde". E, por Carlos, sou também um superfã do Carlos do Carmo.

    Um dia destes, ele deu uma entrevista na SIC ao António José Teixeira, meu camarada de profissão (e dos Grandes) e amigo. Se quiserem ouvir umas verdades... e se a tiverem gravado - vão vê-la: Vale bem a pena.

    Em meu nome e, estou certo, no de todos os que amam o fado, muito obrigado. Tens um blogue fabulástico. Já te sigo e vou colocar-te nos meus BLOGUES MAIS FIXES lá na Travessa.

    Abç

    Henrique

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pelo seu comentário e apreciação a este meu blogue.
    É certo que Fado sem música não é fado, mas este blogue, a seu tempo, espero bem, terá o devido acompanhamento, como de resto já acontece num ou noutro verbete. O tempo é que escasseia e a investigação, como sabe, devora-nos os dias... Nem sei se terei tempo para levar a bom termo este Fadistando, projecto por demais ambicioso e com algumas graves falhas técnicas.
    O meu agradecimento pelo destaque na sua fabulástica "Travessa"
    Abç

    ResponderEliminar